2easy Portugal

Tendências de decoração primavera-verão 2021

Tendências de decoração primavera-verão 2021

As referências à natureza e os detalhes artesanais mantêm-se nas tendências de decoração primavera-verão deste ano. 2021 insiste em ser minimalista, clean e sem grandes exageros, mas com apontamentos personalizados, acolhedores e em materiais orgânicos.

É mais do que óbvio que a pandemia mudou o mundo. A decoração de interiores não é exceção e reflete, naturalmente, os novos padrões em que vivemos. Este ano, o lar tem de ser fácil de limpar e de organizar, ou seja, com uma componente prática muito acentuada, mas capaz de nos acolher com plantas, objetos familiares e diferentes pontos de cor e luz.

Então o que mudou? Ao passarmos mais tempo em casa, há agora uma maior atenção à decoração das áreas comuns. Sobretudo, redescobrimos o conforto e passámos a conectarmo-nos mais com a natureza. Vejamos como estas tendências se refletem nas principais divisões da casa.

Hall de entrada

Este espaço passou a ter uma importância, como nunca antes. A decoração terá de ser funcional, recorrendo a mobiliário que permita guardar sapatos e acessórios, que agora já não podem estar espalhados pela casa. As caixas decorativas em prateleiras, por exemplo, são uma tendência prática e esteticamente agradável.

Sala

A divisão que apenas era usada para momentos de relaxamento ou para refeições, com o aumento do teletrabalho, adquiriu uma componente mais versátil. A tendência é aumentar o nível conforto, mas também, equilibrar de forma estruturada e harmoniosa várias áreas para diferentes utilizações no mesmo espaço comum. A funcionalidade dos móveis é, por isso, crucial. Independentemente do estilo escolhido, a decoração nunca pode prejudicar a circulação. Depois de bem estruturada, decora-se a sala ou sala de jantar com peças personalizadas e cores exuberantes.

Escritório

Na maioria dos lares, a área de trabalho ganhou um destaque incontornável e passou a ser uma divisão indispensável. Seja espaçoso ou mais pequeno, é imperioso ter um escritório, por isso, quem compre casa este ano, deverá ter isso em consideração. Independentemente da decoração escolhida e da área disponível para o efeito, um bom escritório depende de três variáveis fundamentais: capacidade de organização, conforto e iluminação, de preferência, natural.

Cozinha

A cozinha voltou ao centro da casa. Ou seja, deixou de servir apenas para se preparar refeições, para ser agora, também, um local de convívio familiar. Por isso, é preciso ter atenção à qualidade e conforto das cadeiras para esta divisão. Este ano, as cozinhas são monocromáticas, com os tons vintage, como o azul turquesa, azul petróleo, verde menta, rosa bebé, cinza ou amarelo, a destacarem-se nas tendências.

Quarto

Conforto é a palavra de ordem no espaço dedicado ao descanso. Seja no quarto das crianças ou no dos adultos, a tendência é retirar o máximo partido das diferentes texturas utilizadas no espaço, sejam os cortinados, mantas ou no papel de parede, por exemplo. O mobiliário antigo, como as camas de dossel, voltou a estar na moda, bem como os tapetes de grandes dimensões ou os candeeiros de teto de cristal.

Casa de banho

As casas de banho merecem agora uma atenção inédita e o monocromatismo, ou seja, a aplicação de uma tonalidade única em todo o espaço, é a grande tendência. Uma opção é apostar em azulejos de cores sólidas para as paredes e utilizar materiais com a mesma tonalidade para pintar ou revestir o teto e o piso. Este ano, serão os materiais e não as cores a conferir um toque pessoal ao ambiente mais despido e minimalista desta divisão. Os móveis serão preferencialmente claros.

Zonas exteriores

O aproveitamento das zonas ao ar livre é uma das tendências incontornáveis de 2021. Seja numa varanda, terraço ou jardim, todos os metros quadrados são agora valorizados e aproveitados ao máximo, como forma, sobretudo, de potenciar a saúde física e mental. Proliferam, por isso, as opções em termos de decoração, soluções e mobiliário de exterior, que se possam adaptar à zona exterior de cada casa. Uma vez mais, quem este ano esteja a ponderar investir num imóvel, não deve descurar os que contemplem esta possibilidade.

Tendências: Cores, apontamento e estilos

Como a procura por mais naturalidade continua a ser elevada, nesta estação, a simplicidade das cores e os tons claros são as grandes tendências em termos cromáticos. Com a mudança operada ao nível da praticidade e funcionalidade dos ambientes, as cores de cada divisão assumem agora um papel fundamental no ambiente.

Este ano, o verde menta é a primeira cor na lista das tendências, sendo o tom perfeito para várias área da casa, ao conferir personalidade ao ambiente, sem ser demasiado intenso. Em voga estão também o verde amarelado, o verde escuro, o lilás, o roxo escuro, o amarelo mostrada e os tons terra, desde o bege ao castanho terra.

A ideia central é trazer aconchego ao lar, com elementos sofisticados, originais e com personalidade. As plantas proliferam, contribuindo para purificar e trazer vida aos ambientes. Os objetos de madeira e de pedra e os trabalhos artesanais, onde se destaca o crochê e o macramé, por exemplo, aligeiram os ambientes e conferem-lhes um cunho mais familiar. A harmonia é conseguida, também, com a conjugação de materiais como o ferro preto e as madeiras claras.

Em termos de estilos, proliferam nas redes sociais referências à decoração mid-century modern, que soma já cerca de 78,1 milhões de visualizações no tiktok. A modernidade deste género, que surgiu na década de 40 do século XX no norte da Europa e tem como características principais a madeira, a praticidade e a geometria, é conseguida atualmente através da utilização de diferentes texturas, tons e objetos de arte.

O Cottagecore, a tendência de decoração inspirada na natureza, está tão presente em 2021, que já cerca de 5,7 milhões de cibernautas usaram o hashtag #cottagecore no tiktok. As jarras com flores, os tons suaves e os objetos e móveis vintage são elementos cruciais neste estilo. É aquele toque campestre, presente nos pormenores decorativos e nas coisas feitas à mão, a lembrar o aconchego e o conforto da casa dos avós. No fundo, é um estilo de vida, impregnado de nostalgia, que remete para o exterior e para uma vivência mais caseira.

Por último, muito em voga na decoração de interiores está, também, o estilo Japandi, que resultou da fusão entre as estéticas japonesa e escandinava. Esta tendência define-se por um visual minimalista, funcional e relaxante, recorrendo a uma palete de tons neutros e muita luz. A combinação improvável das poucas peças existentes – por exemplo, elementos artesanais, em materiais rústicos, com peças de design, em linhas direitas – resulta num ambiente acolhedor, elegante e com personalidade.

Artigos Relacionados

Adeus 2020! O que muda em 2021?